CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Os melhores pastéis de nata de Lisboa

Pastéis de nata
By Inês ALMEIDA . 3 years

Os pastéis de nata puseram Portugal nas bocas do mundo, literalmente e não só.

 

A pequena iguaria de casca de massa folhada, com o seu interior cremoso que se derrete e envolve na boca, despertando os sentidos com uma onda de doçura e calor, é tão famosa que se debate constantemente qual é o melhor espaço a servi-la.

 

Desejamos que tenha a melhor experiência possível em Lisboa e, para tal, não deve deixar passar os deliciosos pastéis de nata. Nesse sentido, fizemos uma lista dos três melhores sítios para comer pastéis de nata. Deixamos qual é o melhor dos melhores à sua consideração, que tanto pode valorizar um maior grau de doçura, um recheio mais cremoso ou um espaço mais acolhedor que lhe permita ficar horas à conversa.

 

 

Pastéis de Belém

 

A febre dos pastéis de nata teve origem há muitos anos atrás, mais precisamente em 1837, com a abertura da Antiga Confeitaria de Belém, hoje em dia chamada Pastéis de Belém, que naturalmente se situa em Belém, uma das zonas mais bonitas de Lisboa. Estes são os pastéis de nata oficiais e que vêm recomendados em qualquer guia turístico, o que justifica as filas à porta.

A receita original dos pastéis de Belém encontra-se patenteada e é um segredo “fechado a sete-chaves”, a que só os mestres pasteleiros do estabelecimento têm acesso. O que é facto é que esta receita continua a atrair milhares de pessoas diariamente, o que é provado pelas estatísticas do espaço. São produzidos mais de 20 mil pastéis todos os dias. E houve um dia em que chegaram a ser produzidos 55 mil!

Pode optar por pedir os pastéis que quiser ao balcão ou então desfrutar destes, ou do que mais quiser, numa das grandes salas decoradas com azulejos azuis e brancos, como manda a tradição.

 

 

Aloma

 

A pastelaria Aloma situa-se no bairro de Campo de Ourique e abriu as portas em 1943, para gáudio dos lisboetas. Este espaço destaca-se pelo fabrico artesanal de pastelaria e já foi distinguido por três vezes com o título de “melhor pastel de nata” de Portugal.

Com uma camada exterior de massa folhada fina e crocante e um creme leve que se desfaz na boca, os pastéis de nata da Aloma até podem não ser tão reputados como os míticos pastéis de Belém, mas não duvide que são igualmente apreciados, especialmente pelos locais.

As qualidades desta pastelaria chegam tão longe, que até já lhe valeram uma menção no New York Times e na CNN mas, mesmo assim, 85% dos clientes desta casa continuam a ser portugueses. Se quer evitar as filas dos Pastéis de Belém, ou se andar pela zona de Campo de Ourique e quiser experimentar este doce tão português, não hesite em ir à Aloma. Garantimos-lhe que vai ser bem servido.

 

 

Manteigaria

 

A Manteigaria União reabriu em Julho de 2014 no mesmo prédio que em tempos foi a sede da marca, que é originário do ano de 1900 e mantém a bela fachada Arte Nova, assim como as paredes de mármore no seu interior.

O novo dono, mal viu que o espaço estava à venda, demorou menos de um dia a comprá-lo. Aristides Vieira trabalhava na área há dezasseis anos e, apesar de estar cansado, decidiu apostar novamente. Contratou o chef pasteleiro que tinha há anos, que aprendeu a fazer pastéis de nata ainda em criança.

Aristides quis manter o conceito da fábrica e por isso o espaço de pequenas dimensões tem apenas um balcão, onde se pedem os pastéis de nata. Destaca-se por permitir que os clientes vejam a zona de trabalho do mestre pasteleiro, assim como todas as recém fornadas de pastéis expostas na vitrine. Não há apetite que resista.