CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

My Lisboa com a publicitária Nádia Pinto

My Lisboa | Nádia Pinto
Par Inês ALMEIDA Il y a 4 ans
Catégories :
My Lisboa

“Adoro sair de Lisboa, mas não há nada melhor que voltar para ela”

 

Porquê Lisboa para si?

 

Sempre morei em Algés, mas passei a minha vida em Lisboa.

Foi nos jardins de Belém que o meu pai me ensinou a andar de bicicleta, era no Chiado que passeava de mãos dadas com a minha madrinha onde caminhávamos até à casa Pereira para comprar caixas de Lenas que me fazem salivar só de pensar, no São Jorge assisti ao meu primeiro filme e no Restelo dei o meu primeiro beijo, à séria, com vista para o Tejo.

Adoro sair de Lisboa, mas não há nada melhor que voltar para ela.

 

 

Jardins de Belém

Jardins de Belém

 

 

O que é que marca a diferença na capital?

 

A nova azáfama multicultural que se instalou na cidade nestes últimos anos. É incrível ver como a cidade cresceu, mas está cada vez mais jovem, mais viva, cheia de cor e cultura.

Em 10 anos crescemos 20.

 

 

Qual foi a última descoberta que fez em Lisboa?

 

Eu sei que é absurdo, porque é o pulmão da cidade e não existe nada maior do que ele... a verdade é que descobri Monsanto.

Quer dizer, eu já conhecia Monsanto, claro. Todo o Lisboeta conhece Monsanto. Quem nunca escorregou, em criança, num escorrega do Parque do Alto da Serafina? Mas eu descobri mesmo, de verdade, com olhos de ver e tacto e olfacto.

 

 

Parque da Serafina

Parque da Serafina

 

 

Qual é o seu restaurante favorito?

 

A Taberna da Rua das Flores e Tasca Kome.

 

 

Taberna da Rua das Flores

Taberna da Rua das Flores

 

 

Quando precisa de um lugar para relaxar na cidade, onde pára?

 

Junto ao rio. Sempre.

 

 

Qual é o segredo mais bem guardado de Lisboa?

 

As tirinhas de porco preto do Forninho Saloio e a Conchanata, na Av. da Igreja, em Alvalade.

 

 

Conchanata

Conchanata

 

 

Onde é que não resiste a fazer umas compras?

 

Tenho pena de ter perdido algumas das tradições que tinha, como fazer as compras na baixa Lisboeta, ou ir até ao Mercado da Ajuda comprar peixe fresco, fruta e vegetais. O factor tempo e o cansaço ganham quase sempre e torna-se mais fácil deslocar-me até ao Corte Inglês, que também tem optimos produtos.

 

 

Se tivesse de recomendar um espaço de cultura na cidade... qual seria?

 

Galeria Zé dos Bois. Sem sombra de dúvidas.

 

 

Galeria Zé dos Bois

Galeria Zé dos Bois

 

 

Descreva Lisboa numa única palavra...

 

Luz.

 

 

Dê-nos uma ideia para Lisboa...

 

Tenho um cão, o Senhor Bento, e uma das coisas que mais gostava de ver na cidade eram parques caninos. Espaços amplos, cercados onde os cães pudessem conviver à solta e correr sem o perigo de serem atropelados ou de incomodar pessoas sem cães. É ver como se faz lá fora, no estrangeiro.

 

 

Nádia Pinto

 

 

Quem é Nádia Pinto?

 

Nádia Silva Pinto – 37 anos e uma pele impecável

Directora de arte, em publicidade.

Tentou entrar no Conservatório Nacional de Teatro, mas a prova de Canto Lírico não correu bem. Como tal, foi estudar Design Gráfico para o IADE e quando acabou o curso decidiu que o que queria realmente fazer eram reclames, então foi para publicidade.

É directora de arte desde 2005, sempre a trabalhar em agências como a DDB, Young & Rubican, Grey, Ogilvy, BBDO, Fuel e McCann. Já ganhou alguns prémios na área.

Neste momento é freelancer.

Em 2013 uma amiga insistiu que fizesse uma página de Facebook com as suas "parvoíces" e assim nasceu a Lady Mustache.

Em 2014, no dia dos namorados, lançou o livro “Puta que pariu o Amor”.

 

Onde a encontra?

 

Facebook: facebook.com/missladymustache/

Instagram: instagram.com/_pevide_/

Livro: cegosurdoemudo.com/?book/17