CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Vinhos Casal Sta Maria distinguidos na imprensa internacional

Vinhos Casal Sta Maria
Par Inês ALMEIDA Il y a 6 Mois
Catégories :
Últimas Notícias

O Ramisco Colares 2007 conquistou 93 pontos no crivo do crítico Robert Parker, e o Ramisco Colares 2007 e Malvasia Colares 2014 receberam 90 pontos da Wine Spectator

 

Vários vinhos Casal Sta Maria foram distinguidos com elevadas pontuações pelo crítico de vinhos Robert Parker, um dos mais conceituados a nível internacional, da Wine Advocate, e também pela revista Wine Spectator. O principal foco da atenção vai para os inéditos 93/100 pontos Parker que obteve o Casal Sta. Maria Ramisco DOC Colares 2007.

 

O provador dos vinhos foi Mark Squires, um dos mais respeitados da Wine Advocate. Na sua crítica, lembra o estágio de dois anos em toneis de madeira exótica de mogno, passando depois mais dois anos em barricas de carvalho francês, e outros dois anos de estágio em garrafa. O resultado, segundo ele, é um vinho com “uma finesse maravilhosa de palato, fresco, com notas de fruta e alguma acidez no fim de boca. Tem notas de fruta vermelha e de framboesas secas. Depois, tem ainda alguma ameixa e notas laterais de beringela”.

 

Este não foi o único vinho de Casal Sta Maria a chamar a atenção da conceituada revista. O Casal Sauvignon Blanc 2015 e o Casal Sta. Maria Pinot Noir 2012, produzidos a partir das vinhas originais plantadas pelo Barão Bodo von Bruemmer, também receberam a atenção de Mark Squires, com pontuações de 89/100 pontos Parker.

 

Também a Wine Spectator se rendeu aos vinhos Casal Sta Maria. O Ramisco Doc Colares 2007 e o Malvasia Doc Colares 2014 receberam 90 pontos deste outro conceituado meio norte-americano. 

 

Os vinhos do Casal de Santa Maria apresentam uma gama de excelência, onde se destacam os brancos, elegantes, salinos e de perfil muito diferente, mas também os tintos e rosés. A Quinta, que remonta ao início do século XVIII, chegou a produzir vinho até 1903. Cem anos mais tarde, o Barão Bodo von Bruemmer retomava a vertente vinícola da quinta. Plantou as vinhas mais ocidentais da Europa, entre o Oceano Atlântico e a Serra de Sintra. As noites frescas e as manhãs marcadas pela neblina, acompanhadas pelas brisas atlânticas, ajudaram a criar vinhos muito frescos, minerais e elegantes, com a particularidade de serem marcados por fortes notas salgadas. São vinhos com grande potencial de envelhecimento, complexos e com carácter, que expressam bem o ‘terroir’ único de Colares.

 

 

Fonte: Comunicado de Imprensa