CONTACTO INVESTIR VIVER COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Os 7 Melhores Gelados de Lisboa

7 gelados mais vendidos em Lisboa
Par Francisco CANDEIAS Il y a 1 Semaine

Os 7 gelados mais vendidos nas melhores geladarias de Lisboa

 

Todos os anos é a mesma coisa, o verão começa no mesmo dia que as filas para as geladarias. Já todos suámos em bica por uma bola de gelado entalados entre famílias de turistas com filhos a fazer uma birra porque lhes apetece algo para apascentar o calor.

 

No entanto, o verdadeiro problema dá-se dentro da geladaria, quando nos deparamos com uma lista infindável de sabores e que, à primeira vista, nos parecem igualmente bons. Nessa altura, põe-se aos mais indecisos um dilema de proporções não menores àquele em que temos de decidir se matamos cinco pessoas acidentalmente ou uma de propósito com o nosso elétrico.

 

No meu caso, pareço um burro a olhar para um palácio a tentar decidir se hei de pedir morango, chocolate ou assim uma meloa com caramelo (sabe-se lá). Isto para não falar do olhar aterrador da pessoa atrás de mim que não pode perder um minuto do seu precioso tempo.

 

Mas se indecisos como eu há muitos, também existe uma espécie de características completamente opostas, os decididos que sabem exatamente o que querem. Admiro-me sempre quando vejo alguém entrar numa geladaria, não lançar sequer um olhar ao menu, dirigir-se ao balcão, pedir um sabor com convicção porque sabe que é o melhor que a casa faz e não sair de lá a pensar que talvez meloa com caramelo tivesse sido uma opção mais sensata.

 

Na verdade, são estes decididos que fazem a fama de uma casa. São eles que vão transmitir aos amigos e amigas que na geladaria tal só vale a pena pedir morango, e que noutra há um gelado de pêssego como não se encontra em mais lado nenhum.

 

Foi de olhos postos nestes trendsetters que fomos para a rua e experimentámos os sabores que tornaram as mais conhecidas geladarias de Lisboa em autênticos ícones. Fizemos uma espécie de lista para os indecisos, para que possam eles também parecer decididos e pedir com convicção e sem arrependimentos o sabor que, agora sabem, é o melhor. Ora vejam e desenganem-se se pensarem que fomos corridos a morango por todo o lado:

 

1. Santini

 

A Santini é já um clássico e não há quem não conheça a loja do Chiado, sempre cheia e com uma fila que muitas vezes quase nos faz perder a vontade de comer gelado. O que menos pessoas conhecem é que a loja do Chiado não é a única que o grupo tem em Lisboa e que recentemente abriram uma no edifício LACS em Santos. Aqui, fila é coisa que raramente se vê.

 

Assim que perguntámos qual era o sabor mais vendido, disseram-nos sem hesitar ou piscar os olhos que é o de morango. Embora seja sazonal e nem sempre seja oferecido, nem por isso este sabor perde seguidores. Quando muito, a espera faz com que a procura aumente ainda mais, havendo quem se dirija à loja tão cedo quanto em Abril e pergunte se já chegou. 

 

 

A qualidade é indiscutível e mesmo após a transformação em gelado sente-se a textura do verdadeiro morango. Este standard é garantido por uma bateria de testes que os morangos sofrem antes de serem finalmente escolhidos como os ideiais para a confeção do gelado.

 

Assim já sabe, da próxima vez que for à Santini e não souber o que pedir, lembre-se de que não pode errar com o morango.

 

2. Gelato Davvero

 

Com cerca de três anos, a Gelato Davvero (gelado de verdade, em italiano) depressa se tornou uma paragem obrigatória na rota dos gelados lisboetas. Uma referência no que toca à confeção do verdadeiro gelado romano, a Gelato Davvero conta já com várias lojas na cidade. Fomos até à loja de Santos, a maior, para saber qual o sabor mais popular.

 

A resposta não foi tão assertiva quanto a anterior, mas talvez isso se deva ao facto de haver 40 sabores por onde escolher (escolhidos entre cerca de 160 receitas diferentes), o que torna a estatística um pouco mais complexa. 

 

 

No entanto, após alguma reflexão disseram-nos que talvez o caramelo salgado fosse aquele que mais saísse e aquele pelo qual a casa é mais reconhecida. 

 

Chegada a hora do teste, rapidamente se percebe o porquê da escolha. Este gelado tem, digamos, personalidade. Sal não é propriamente algo que se associe a gelado, mas combina com o caramelo na perfeição. A textura é suave e cremosa, mas se tiver sorte (ou azar, depende talvez da perspetiva) pode encontrar uma pedrinha de sal que de certo tornará a coisa mais interessante.

 

3. Nannarella

 

 

Não se pode falar de gelado em Lisboa sem se falar da Nannarella, a geladaria italiana que há uns anos tomou a capital de assalto. Conhecidas são também as filas que se criam à porta da loja em São Bento. Mas, afinal, por que sabor espera a multidão? Entrámos e perguntámos.

 

Feita a pergunta segue-se alguma hesitação e uma lista considerável de sabores. “Não é fácil”, dizem, mas lá acabam por afirmar que “pistácio se vende muito”. Não houve tempo para muito mais conversa exatamente por causa da fila que se começava a criar. 

 

 

Quanto ao gelado mais vendido pela Nannarella, nada senão elogios (como se esperaria de um best-seller). Lá o conseguimos fotografar em cima do pequeno balcão, aos encontrões aos turistas que iam, entretanto, enchendo a casa. Ouviu-se qualquer coisa em italiano por trás das portas da cozinha e nós saímos, para aproveitar o sol de São Bento com um ótimo gelado nas mãos

 

4. Conchanata

 

Temos falado em clássicos, e esta geladaria é das que melhor se adequa ao adjetivo. A Conchanata abriu na Avenida da Igreja em Alvalade há mais de 50 anos e desde essa altura que é um autêntico marco no bairro, que ultimamente tem ganho nova vida.

 

O ambiente é familiar e os clientes são fiéis. A senhora que estava à nossa frente nem precisou de dizer nada e logo lhe foi servido um gelado de nata, “o do costume”. São pequenos detalhes como este que marcam a diferença entre esta loja e as outras, mais comerciais. 

 

 

No entanto, não é só pela simpatia que as pessoas vão à Conchanata. A qualidade dos gelados tem feito com que esta geladaria de bairro não tenha ficado esquecida com o aparecimento de tantas outras na cidade.

 

Quanto àquele que mais se vende, disseram-nos que seria uma combinação entre baunilha, morango e chocolate, por agradar a todos. Dos três será difícil dizer qual o melhor, só experimentando.

 

Créditos: Conchanata

 

5. Hey Mate

 

Também em Alvalade está a Hey Mate Gelado de Rolinho, que pode ainda não ser considerada um clássico mas para lá caminha. O conceito difere um pouco da tradicional bola de gelado. Aqui servem “folhas” de gelado enroladas em rolinhos à nossa frente e preparados a uma velocidade alucinante. 

 

A ideia foi trazida da Ásia por dois amigos, António Dias e Ricardo Paulos, que se fartaram da vida de escritório. Aprenderam a técnica na Indonésia e decidiram trazê-la até Portugal, o que foi muito boa ideia. 

 

 

Há pelo menos 9 opções no menu e dão todas que pensar. Há receitas com quase tudo, a escolher entre pastéis de nata, Chipmix, Nutella, leite condensado ou Oreo, o best-seller.

 

6. Fragoleto

 

Se anda pela baixa e lhe apetece um gelado, saiba que tem de passar pela Fragoleto. Enquanto espera na possível fila, aproveite para olhar para os detalhes de decoração que compõem a loja e lhe dão um ar tão agradável.

 

 

A missão da Fragoleto é fazer com que todas as pessoas do mundo possam apreciar um gelado, então há-os para todos os regimes alimentares. Seja vegan, alérgico ao glúten ou intolerante à lactose pode ir à confiança porque encontrará algo para si. 

 

 

Quando perguntámos qual o gelado que mais se vendia, confessaram não ter a certeza, mas deram-nos uma lista de onde escolher.  Escolhemos baunilha e chocolate e não nos arrependemos.

 

7. Grom

 

 

A mais recente geladaria a abrir no Chiado, a Grom, veio diretamente de Itália, onde já era um clássico, e promete fazer séria concorrência às demais. Aqui, os gelados são todos gluten-free e há muitos por onde escolher.

 

 

Aquele que nos foi dado era uma combinação entre pistácio, um clássico, e crema di Grom, a receita pela qual a marca é mais conhecida. A textura cremosa do pistácio contrastava com a bolacha crocante do crema di Grom, o que achámos uma agradável surpresa. Não há dúvida de que ali sabem fazer gelado.