CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Pode pedir brunch vegetariano todos os dias no Príncipe Real

Aloha Café
Par Inês ALMEIDA Il y a 5 ans

Além do brunch, perca-se com os wraps, as sopas e as saladas da morada mais saudável do Príncipe Real

 

No Aloha Café, a nova cafetaria do bairro Príncipe Real, em Lisboa, é servido brunch vegetariano todos os dias. É de facto cada vez mais fácil, para os adeptos de brunch, encontrar espaços em Lisboa que não se limitem a servir esta refeição apenas ao fim-de-semana. No Aloha Café é possível pedir brunch de terça a sexta-feira, entre as 10h00 da manhã e o meio da tarde. Contudo durante a semana só encontra uma opção de menu.

 

O menu de brunch mais simples do Aloha Café inclui um cesto de pães criativos, como de azeitonas, compotas para acompanhar, iogurte com muesli ou papas de aveia, uma salada do dia, húmus e uma quiche, café e chá. O preço deste menu é igual durante a semana ou aos sábados e domingos, €10,90.

 

Ao fim-de-semana, o brunch simples passa a ter cesto de pães, compotas, tofu mexido, salada, café e chá. A versão mais completa inclui os mesmos pães, compotas e tofu mexido e também panqueca de fruta, iogurte com muesli ou papas de aveia, uma salada, o carpaccio de tofu fumado, sumo natural, café, meia de leite ou chá. O menu simples custa €10,90 e o completo €15,90.

 

O Aloha Café encontra-se de portas abertas no Príncipe Real desde o dia 25 de Março. Este projeto teve a sua génese num blogue de alimentação saudável, que seis anos mais tarde gerou uma cafetaria em Sesimbra. O projeto cresceu e este ano culminou na abertura de uma cafetaria em Lisboa.

 

O Aloha Café tem capacidade para receber 17 pessoas sentadas. Este espaço, além do brunch vegetariano, tem uma carta cheia de opções, como sopas, wraps e hambúrgueres, todos confeccionados à base de ingredientes saudáveis e biológicos. Além disso conta ainda com um menu de almoço diário com o preço fixo de €8,50.

 

O Príncipe Real é um dos bairros mais trendy de Lisboa, sendo conhecido por reunir galerias de arte, lojas de antiguidade e espaços mais alternativos, assim como novos restaurantes.

Fonte: NiT

Photo Credit: Observador