CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Portugueses rumam à costa algarvia nas férias da Páscoa

Páscoa no Algarve
Par Inês ALMEIDA Il y a 3 ans
Catégories :
Turismo Portugal

Ocupação no Algarve e no Porto ronda os 80% na Páscoa

 

As férias da Páscoa são a altura ideal para ter um gostinho do verão e saborear a costa solarenga do sul de Portugal. Parece que todos os portugueses tiveram a mesma ideia este ano, porque Albufeira, Vilamoura e o Sotavento já estão com a lotação esgotada para a Páscoa. A ocupação dos hotéis no Algarve nesta ocasião vai rondar os 80%, um pouco acima dos números do ano passado.

 

Apesar do tempo não ter estado muito convidativo em Portugal ao longo do mês de março, esse fator não foi um impedimento para os portugueses planearem as suas férias da Páscoa. O motivo desta zona estar mais lotada no final deste mês deve-se maioritariamente aos portugueses, que retomaram a tradição de voltar ao Algarve nesta altura do ano.

 

“Não é o Algarve de agosto, mas temos alguns hotéis com 100% de ocupação”, explica o presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), que considera que o facto de a Páscoa vir mais cedo e das temperaturas estarem baixas deixa os resultados ainda aquém do expectável.

 

“É durante estes últimos quatro dias que recebemos um volume considerável de reservas. Contamos fechar com ocupações de 80% a 90%”, diz João Jesus, diretor de vendas dos hotéis Minor do Algarve. As previsões para esta Páscoa são mais positivas do que em 2017, o que fez com que o grupo tailandês antecipasse a reabertura do Tivoli Lagos.

 

Para Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, a ausência do sol não tem de ser um obstáculo às férias, realçando a maior procura por novas atividades a sul de Portugal que dinamizou a região. “O Algarve apostou fortemente numa maior diversidade como alternativa ao sol e praia”, afirma.

 

Estes novos produtos fazem diferença na hora de captar novos nacionalidades, que estão a chegar com mais força e são cruciais para “criar alternativas face ao nosso mercado principal que continua a ser o Reino Unido”, considera Dora Coelho, diretora executiva da Associação de Turismo do Algarve.

 

 

Fonte: Dinheiro Vivo