CONTACTO INVESTIR VIVER COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Paço dos Duques de Guimarães traz mostra de Monges e Guerreiros

Exposição Monges e Guerreiros
Par João GALVÃO Il y a 3 Mois
Catégories :
Cultura

No Paço dos Duques, em Guimarães, tudo sobre as Ordens Militares até janeiro do ano que vem

 

Desde o final do mês de março que o curioso Paço dos Duques de Bragança traz a exposição “Monges e Guerreiros” dedicada às ordens militares, que foram muitas mas de que se sabe ainda relativamente pouco. Fazem parte intrínseca do tecido histórico da Península Ibérica de entre os séculos XII e XV, quando foram um fator decisivo nas guerras da Reconquista e mesmo da Expansão. 

É um tema favorito de quem gosta do lado romanceado da História: os homens que se dedicavam à Igreja, mas que expressavam o seu amor por Cristo à espadeirada. Especialmente agora, em que o Turismo Militar começa a ser um dos ‘turismos’ que ganha expressão e atrai cada vez mais curiosos ao tema.

 

Falámos com Flávio Vieira, técnico superior da Direção Regional de Cultura do Norte, e contamos-lhe aqui toda a conversa:

 

Porquê esta exposição? E porquê aqui?

As ordens militares tiveram um papel fundamental na formação de Portugal. Uma exposição desta temática em Guimarães, ‘berço’ da nacionalidade, faz todo o sentido.

 

O que poderemos nela ver? Que pontos destaca?

É uma exposição didática que apresenta a vida e o contexto cultural e militar no qual se inseria a atividade dos cavaleiros medievais, realçando a importância do seu papel na formação dos reinos católicos da Península Ibérica.

Destaco as maquetas, em tamanho real, de soldados membros das ordens, a heráldica das mesmas, as armas originais do século XV (pertencentes ao acervo do Paço dos Duques) e a profusão de mapas e textos informativos (em português e inglês).

  

Para além desta mostra, que mais se pode visitar no Paço dos Duques?

A exposição permanente. O Paço dos Duques é um Paço construído no século XV, por ordem do primeiro duque de Bragança. Foi habitado pouco mais de um século, tendo sido reconstruído no século XX (entre 1937 e 1959) e aberto ao público, nesse mesmo ano, como museu, com recheio composto de mobiliário, armas, cerâmica, pintura, tapeçaria, etc. proveniente de outros Palácios e Museus Nacionais.

 

Para além do Paço, e como conhecedor do espírito local, o que nos deve também levar a Guimarães? 

O Centro Histórico, é Património da UNESCO, e onde se inserem alguns museus e monumentos, tais como o Castelo de Guimarães ,o Museu de Alberto Sampaio, entre outros.

O edifício do Paço é por si só imperdível e vale muitíssimo uma visita. Foi construído no século XV por D. Afonso, o primeiro Duque de Bragança, para lá viver com a sua segunda esposa. Na década de 30 do século passado, Salazar mandou remodelá-lo para funcionar como residência oficial do Presidente do Conselho, e o restauro não foi consensual, bem pelo contrário. Hoje em dia, à distância, esta remodelação polémica faz, por si, parte de um todo que surte especial efeito estético. Afinal, mais tarde ou mais cedo, mesmo as remodelações mais controversas acabam por ser também edificado histórico, é apenas uma questão de tempo.

 

 

Exposição “Monges e Guerreiros”

Até janeiro de 2019

Paço dos Duques de Bragança

Rua Conde Dom Henrique, 3, Guimarães

Tel: 253 412 273

 

Preços:

Adulto: 4 euros

Maiores de 65 anos, Cartão de Estudante e Cartão Jovem: 3 euros

Até 12 anos: grátis

 

Mais info aqui

 

 

Fotos cedidas pela instituição