CONTACTO INVESTIR VIVER COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

No Mosteiro dos Jerónimos está o mais belo refeitório de Portugal

Refeitório do Mosteiro dos Jerónimos
Par Carlos P Il y a 3 Mois

 

Lugar de refeições de monges  de clausura e mais tarde de crianças carenciadas, o refeitório dos Jerónimos supreende pela sua dimensão e beleza.

 

No Mosteiro que demorou todo o século XVI a construir, está o mais belo refeitório de Portugal. Desde a sua construção e até 1834 foi lugar exclusivo das refeições dos monges da Ordem de São Jerónimo. Para depois ser ponto de encontro das crianças da Casa da Pia de Lisboa, também à hora da refeição.

 

 

Durante cerca de 3 séculos e sempre em conjunto, os monges tomavam as suas refeições no Refeitório.  Havia regras de comportamento e o ambiente era solene e, enquanto se comia, fazia-se silêncio e um dos monges lia passagens da Bíblia ou dum outro livro religioso. Não era permitido conversar! Para melhor se impor essa leitura, utilizava-se um púlpito de madeira, construído em jeito de varanda, ao estilo dos habituais púlpitos em pedra onde os sacerdotes pregavam nas igrejas. Era assim o ambiente que se vivia, até à extinsão das ordens religiosas em 1834, nesse que é considerado o mais belo refeitório de Portugal.

 

O Mosteiro dos Jerónimos foi mandado construir pelo rei Dom Manuel I frente à praia do Restelo, no final do século XV o porto mais seguro e mais procurado, quer pelos navios que entravam no Tejo, quer pelos que se preparavam para abandonar Lisboa. Foi dali que partiu Vasco da Gama em direcção à Índia, em 1497 e também Pedro Álvares Cabral que viria a descobrir o Brasil, em 1500.

 

 

 

Dom Manuel ofereceu o Mosteiro à Ordem de São Jerónimo. Uma ordem religiosa católica de clausura e de orientação contemplativa, fundada por São Jerónimo em 1373 e exclusiva de Portugal e Espanha. No Mosteiro dos Jerónimos os monges teriam como funções rezar pela alma do rei e prestar assistência aos navegadores que partiam da praia do Restelo.

 

O refeitório, um espaço grandioso, até porque assim era necessário pela enorme concentração de monges à hora de refeição, foi decorado,  mais de duzentos anos depois da sua construção (1780-1785), com um silhar de azulejos azuis, brancos e amarelos.  Debaixo de grossos cordões de pedra ao estilo manuelino, os painéis de azulejos representam cenas do Antigo e do Novo Testamento: o milagre da multiplicação dos pães e dos peixes e imagens da vida de São José do Egipto. Ainda como elementos decorativos deste espaço, de destacar uma tela do século XVII a representar S.Jerónimo e uma pintura a óleo, a “Adoração dos Pastores”, de finais do século XVI.

 

 

No coração do monumento mais visitado de Portugal (mais de um milhão de visitantes em 2017!), o antigo refeitório dos monges da Ordem de São Jerónimo pode também ser visitado e ainda ser alugado para eventos. É também lugar de palestras e debates https://dialogosjeronimos.pt/