CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Panorâmico de Monsanto renasce das cinzas como miradouro

Panorâmico de Monsanto
Par Inês ALMEIDA Il y a 4 ans
Catégories :
Atividades Lisboa

Dizem que a melhor vista de Lisboa se encontra no Panorâmico de Monsanto

 

O antigo restaurante Panorâmico de Monsanto já se encontra abandonado desde 2001, tendo sido visitado pelos mais incautos desde então, que não resistiam à vista esplendorosa que este tem para Lisboa. A partir de agora, pode visitar este sítio de forma oficial e sem perigo de derrocadas, pois foi todo remodelado pela câmara municipal de Lisboa.

 

Muitos dizem que esta é a melhor vista de Lisboa. Não é difícil de imaginar, pois o novo (ou recuperado) miradouro situa-se no topo do Parque Florestal de Monsanto, o pulmão de Lisboa, beneficiando de uma vista de 360º sobre a cidade. O antigo restaurante Panorâmico de Monsanto reabriu no início de Setembro, depois de ter estado abandonado ao longo de 16 anos.

 

O edifício esteve a ser preparado ao longo dos últimos meses para poder abrir ao público com segurança. Foi limpo, foram removidas as estruturas partidas e o entulho, colocados gradeamentos e algumas zonas foram emparedadas. Pode visitá-lo todos os dias, de segunda-feira a domingo, das 9h00 às 19h00. Este espaço possui uma área de estacionamento no interior e a entrada é gratuita.

 

Este edifício foi construído pela câmara municipal de Lisboa em 1968 e, desde então, tem passado por inúmeras mudanças. Já foi um restaurante, uma discoteca, uma sala para jogar bingos, um espaço de escritórios e um armazém de materiais de construção. Em 2001 acabou por fechar, degradando-se. Antes de ser recuperado encontrava-se cheio de grafitis, materiais partidos e lixo.

 

Desde o ano 2000 que se fala em reabilitar o Panorâmico de Monsanto, mas as ideias nunca saíram do papel. Até hoje. Para já, o Panorâmico de Monsanto vai servir como miradouro, sendo que o futuro do espaço deverá ser decidido através de um concurso de ideias lançado pela autarquia. Esta foi a proposta avançada pelo presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina, na Assembleia Municipal de 11 de Julho. A recuperação do edifício vai ficar adiada até ao próximo mandato.

 

 

Fonte: Diário de Notícias