CONTACTOPORTUGALCOMPORTAALGARVEINVESTIRVIVER

Forte de S. Miguel Arcanjo, uma história de piratas e surfistas

Forte S. Miguel Arcanjo
Par João GALVÃO Il y a 2 semaines
Catégories :
Últimas Notícias

Depois de encerrado para melhoramentos e mudança de conteúdos reabriu já o Forte de São Miguel Arcanjo, na Nazaré

 

E vai ser já amanhã, sábado, que do Forte renovado pode assistir ao Nazaré Challenge, inserido no Big Wave Tour da WSL. Os melhores surfistas de ondas gigantes voltam à Nazaré, e à Praia do Norte, para cavalgar o Canhão que foi noticiado em todo o mundo quando em 2013 Garrett McNamara ali surfou uma onda com 30 metros de altura.

Esta onda surreal nasce de uma ocorrência geológica submarina, o tal Canhão, que afunila as águas e as faz erguer para usufruto dos mais valentes. A ocorrência ganhou mesmo um seu Centro Interpretativo, parte do interior renovado do Forte de São Miguel Arcanjo, onde se pode ver uma representação 3D do Canhão da Nazaré e, em contexto, imagens e informação de um submarino alemão U-963, afundado durante a II Grande Guerra e que ali no fundo repousa.

Mas a ligação do Forte ao surf não fica por aqui; na renovação dos conteúdos apresentados foi consagrado um espaço que honra os surfistas famosos que surfaram na Praia do Norte e deixaram a prancha com que o fizeram no Forte de S. Miguel Arcanjo.

Para além desta Surfer Wall, podemos encontrar uma exposição do escultor Thierry Ferreira e outra de fotografia, ilustrativa do poder das ondas, da dimensão do mar e desta força da natureza.

A última mostra é uma Exposição Documental explicativa do Forte e do seu papel, ao nível local, na Nazaré, e num âmbito mais alargado, como ponto relevante no tecido histórico nacional. O forte de São Miguel Arcanjo é um monumento de estilo maneirista, da centúria de Quinhentos, erguido no início do reinado de D. Sebastião para defender a enseada dos ataques de piratas argelinos, marroquinos, holandeses e, antes, dos normandos. Teve ao longo dos séculos parte interventiva constante, como aconteceu durante as Invasões Francesas do século XIX ou na Lutas Liberais.

Como edifício é uma estrela longitudinal, ocupando a coroa da escarpa, como um farol (que acabou por ser). O nome deve-se a uma capela que integrava, dedicada a São Miguel, um anjo valente e guerreiro que se tivesse nascido por agora seria com certeza surfista, e não resistiria também ele à onda do Canhão.

 

 

Forte de São Miguel Arcanjo

Rua 25 de Abril, Nazaré

262 550 010

 

Imagens cedidas pelo município