CONTACTOPORTUGALCOMPORTAALGARVEINVESTIRVIVER

Visitas guiadas aos cemitérios de Lisboa

Cemitérios de Lisboa
Par João GALVÃO Il y a 4 Mois
Catégories :
Últimas Notícias

Para além da evidência, os Cemitérios de Lisboa são locais artísticos e de análise psicossociológica de que o Município tira partido com visitas guiadas

 

O pós-vida tem também muito do que se lhe diga em relação à arquitetura e ao paisagismo. Não para quem morreu, claro, que não se preocupará com certeza sobre tais miudezas, mas sim para quem cá fica e que faz da arquitetura da morte uma continuação dos ritos e dos gostos da vida. E mesmo talvez, e desde sempre, da ostentação de um certo status quo e enquadramento social.

Seja qual a for a cidade, a sua necrópole é um espelho do resto. E quanto mais interessante e histórica for a metrópole, mais interessante e rica de assunto é a necrópole.

 

De há algum tempo para cá a Câmara Municipal de Lisboa convida-nos a saber mais sobre os cemitérios da cidade, em visitas guiadas, passeios no mínimo curiosos. Falámos sobre o assunto com Sara Gonçalves, da Divisão de Gestão Cemiterial do Município, que nos conta como se pode aprender tanto no sítio onde menos se esperaria.

 

Como surgiu a ideias destas visitas guiadas?

Os cemitérios de Lisboa, são locais de grande riqueza patrimonial e cultural desconhecida da maioria das pessoas. A ideia das visitas resulta da necessidade de divulgar essa realidade a um público mais alargado, conhecedor ou curioso. Após a classificação museológica no cemitério dos Prazeres surgiu a oportunidade da criação de percursos temáticos. Nessas iniciativas é dado a conhecer a diversidade do património histórico cemiterial, nas vertentes artística, política, social e religiosa.


Há quanto tempo se realizam?

A Divisão de Gestão Cemiterial realiza visitas ao cemitério dos Prazeres desde final dos anos 90. Em 2013 passou a existir uma calendarização anual, divulgada trimestralmente, com visitas temáticas. Mais recentemente foram incluídas nesta calendarização, visitas ao cemitério do Alto de S. João.

 

Quem guia os visitantes?

As visitas são orientadas por 3 técnicos da Divisão, 2 licenciados em História e 1 em Arquitetura.

Pode adiantar alguma informação sobre os temas das visitas em março aos Prazeres e ao Alto de São João?

As visitas previstas para Março no cemitério dos Prazeres são ao Jazigo Palmela, maior jazigo privado da Europa construído em meados do século XIX, com traço do Arquiteto Giuseppe Cinatti, mandado construir por Pedro de Sousa Holstein o primeiro Duque de Palmela e Percursos no feminino alusivo ao Dia Internacional da Mulher, comemorado a 8 de Março, esta visita pelo edificado tumular, dá a conhecer figuras relevantes da nossa sociedade, como Maria de Lurdes Pintassilgo, Maria Luísa de Sousa Holstein-Beck, Natália Correia ou Carolina Beatriz Ângelo. A visita ao cemitério do Alto de São João de teor genérico, dará a conhecer a sua história desde o século XIX até aos nossos dias.

 

Como tem sido a aderência por parte do público? 

A adesão por parte do público tem sido crescente, refletindo as divulgações nos meios de comunicação, com reações habitualmente positivas. Os eventos têm-se multiplicado para dar resposta à procura, nomeadamente aqueles que se realizam no horário noturno.

Como podemos fazer para nos inscrever? Tem custos?

A participação é gratuita sendo necessária a inscrição prévia através do e-mail dmevae.dgc@cm-lisboa.pt , e há possibilidade de solicitar visitas programadas.
As visitas temáticas calendarizadas para o mês de Março serão:

No cemitério dos Prazeres, dia 10 às 10.00h - Jazigo Palmela e dia 16 às 14.00h - Percursos no feminino (visita em Inglês).

No cemitério do Alto de São João, dias 23 ou 24 às 14.00h.

As visitas programadas são possíveis, às sextas-feiras e sábados com inicio às 10.00h.

 

 

Fotos no corpo do texto cedidas pela Divisão

João  GALVÃO Contribuidor Lisbonne-Idée
João GALVÃO Contribuidor Lisbonne-Idée