CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Passear como um Rei em Cascais

Passeio real em Cascais
By Carlos P . 3 years

Dom Carlos, o penúltimo rei de Portugal, amava Cascais e passados mais de 100 anos, ainda é possível seguir-lhes os passos...

 

 

Seguiu o gosto dos seus pais, o rei Dom Luís e a rainha Dona Maria Pia e continuou a passar temporadas em Cascais – ali celebrava sempre o seu aniversário e o de sua mulher, a rainha Dona Amélia, que era no mesmo dia, 28 de Setembro.

 

Para o recordar e para reviver os passos do família real portuguesa no tempo de Dom Carlos, que foi rei entre 1889 e 1908, há uma rota a seguir:

 

 

1 – A Casa Maria Pia, o paço da rainha mãe viúva, que Dom Carlos visitava com frequência. Fica no alto do Monte Estoril, virada à baía e é hoje propriedade privada. Muito exposta, pode-se apreciar da marginal ainda em todo o seu esplendor.

 

 

Dom Carlos com o irmão, o infante Dom Afonso e a Mãe, a rainha viúva Dona Maria Pia, na Casa Maria Pia, no Monte Estoril

 

 

2 – A Praia da Rainha, um pequeno areal, mais protegido do que a Praia dos Pescadores, um refúgio da preferência das rainhas Dona Maria Pia e Dona Amélia. Aí o Rei, ainda príncipe, com o seu irmão Dom Afonso, ia a banhos com a Mãe.

 

3 – A Praia da Ribeira ou dos Pescadores, onde o rei e a sua corte desfrutavam verdadeiramente das águas de Cascais. Frente ao Hotel Baía, continua a ser esse misto de lugar de pescadores e de veraneantes. Há muitas imagens de Dom Carlos nesta praia.

 

 

A família real na Praia da Ribeira ou dos Pescadores

 

 

4 – A Avenida Dom Carlos, o eixo principal de acesso à Cidadela e onde se construíram belíssimos exemplares da arquitetura de veraneio das últimas décadas do século XIX.  Continua a ser uma das mais bonitas artérias da vila, algumas das casas ainda são de descendentes da nobreza que ali passava férias na época, outras, como a dos Condes de Monte Real, alugada ao designer francês Philippe Starck, são morada de estrangeiros apaixonados pela região.

 

 

5 – O Passeio Maria Pia, à época, uma larga passerelle contígua à Cidadela, onde os elegantes “desfilavam”. Hoje, na sua versão mais popular, é também um miradouro de onde se avista a baía de Cascais e lugar de passagem de muitos turistas.

 

6 – O Marégrafo,  no Passeio Maria Pia, que era expoente máximo do universo de Dom Carlos oceanógrafo e que, sob consulta, ainda pode ser visitado – sempre com a função de medição do nível médio das águas do mar.

 

7 – O Palácio da Cidadela, casa oficial de férias dos Reis Dom Luís e Dom Carlos, hoje completamente renovado e que vale a pena uma visita. Tem a vista mais deslumbrante sobre Cascais e a baía, conta com uma capela com culto e missa semanal e é património gerido pela Presidência da República, onde se recebem hóspedes de Estado. Entre outros, o Príncipe Alberto do Mónaco e o presidente de Moçambique já ali pernoitaram. As muitas divisões contam muitas histórias da família real portuguesa, até mesmo o episódio da morte de Dom Luís, o pai de Dom Carlos, que ali faleceu num dos quartos em 1889.

 

8 – O Teatro Gil Vicente, construído à moda dos pequenos teatros clássicos italianos, tem 500 lugares e era um dos locais de eleição para o entretenimento da família real e das elites que a seguiam. Está em atividade desde 1869 e vale a pena uma visita!

 

9 - O Sporting Club de Cascais, hoje Museu do Mar, era um clube de acesso condicionado, onde o rei e a sua corte se divertiam, jogavam ténis e onde até mesmo nasceu o futebol em Portugal, em 1988. Era também o local onde se realizavam os bailes e as festas da sociedade de então. Também conhecido como a Parada, por ser uma antiga área de instrução militar. Hoje, o Museu e o seu jardim, contígua à Casa das Histórias Paula Rego, honram a memoria de Dom Carlos oceanógrafo e da sua grande paixão pelo mar.

 

 

 

O Rei, na entrega de prémios após um torneio de tennis no Sporting Club de Cascais, hoje Museu do Mar
 

 

 

10 – A Casa de São Bernardo, a casa da Bernardo Pinheiro de Melo, amigo e secretario privado do Rei, a quem Dom Carlos viria a atribuir o título de 1º Conde de Arnoso em 1895, era um lugar de eleição para o monarca pintar as suas conhecidas aguarelas. Ali se encontravam amigos notáveis e do ciclo mais restrito de Dom Carlos. Hoje é o escritório da administração da Marina de Cascais, mais continua a destacar-se entre as mais bonitas casas de Cascais.

 

11-  A Casa dos Condes de Olivais e Penha Longa, agora o Farol Hotel, foi “casa emprestada” para férias aos ainda príncipes herdeiros Dom Carlos e Dona Amélia, enquanto a Cidadela era exclusivo dos reis Dom Luís e Dona Maria Pia. Chegou a construir-se um longo passadiço que unia esta casa ao Palácio da Cidadela, ligando assim as duas residências reais. Hotel, bar, restaurante, piscina e sala de festas, esta antiga casa que conta com uma localização única sobre as rochas e virada ao oceano Atlântico, é agora propriedade duma sociedade maioritariamente de empresários russos. E ao longo do século foi alargada com vários módulos de características arquitetónicas diversas.

 

 

Para seguir com rigor esta rota e para melhor viver a experiência, sugerimos que consulte o site da Câmara Municipal de Cascais e a página específica aqui