CONTACTO INVESTIR VIVER COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Nova SBE: uma faculdade para Millennials

Nova SBE
Par João GALVÃO Il y a 3 Mois

Quer estudar Economia e Negócios mas não se sente um manga-de-alpaca? Antes da escola não dispensa meia hora de surf? A Nova SBE é para si. Desculpa, para ti.

 

É já a partir deste ano lectivo 2018/19 que a Nova School of Business & Economics (Nova SBE) arranca numa perspetiva completamente nova e mais que pertinente,  espelhando os tempos de agora. Não apenas tendo em conta os conteúdos programáticos, mas especial e superiormente o corpo docente, a locação e a interação entre alumni/corpo docente/população, numa atitude contemporânea que acompanha o estado de espírito dos Millennials que inauguram este ano a faculdade Nova School of Business & Economics.

Implantação no terreno da Nova SBE, com a praia de Carcavelos a poucos metros e o Forte da Torre, a construção histórica que lhe fica mais vizinha. Ao Fundo a Marina de Oeiras e Porto de Recreio.

 

Este novo campus em Carcavelos é sublinhado pela visão Nova Way of Life, que alia o rigor académico a um propósito orientado ao impacto efetivo na vida das pessoas e das organizações.

 

Quase se poderia dizer que a Nova School of Business & Economics deixou nas antigas instalações, em Campolide, Lisboa, a roupagem tradicional da Faculdade de Economia da Universidade Nova. Campolide deixou de ter capacidade para responder ao crescimento da escola, tanto para os programas académicos como para outros projetos que a escola tem vindo a desenvolver, espelhando a evolução natural de um estabelecimento de ensino que não quer perder a movida.

A obra quase finalizada, vista do lado mar. Foto de Francisco Nogueira.

 

A Nova SBE precisava de um novo espaço, focado no aluno e no seu percurso de desenvolvimento académico e pessoal – um espaço que fomente o crescimento e o empreendedorismo das iniciativas que nascem na escola e que esteja aberto a toda a comunidade.

A Nova SBE ainda em estaleiro, vista do lado terra. Foto de Francisco Nogueira.

 

O projeto do novo Campus passa pela criação de uma escola global em Portugal, que alia a qualidade académica ao estilo de vida que o país (especialmente a região de Lisboa e de Cascais) oferece. Carcavelos é um daqueles raros sítios onde toda a gente se sente em férias durante todo o ano, e a sua praia é regularmente alvo de competições internacionais de surf, bodyboard e outros desportos náuticos. 

 

Não são apenas estes desportos e a cultura saudável do lazer que podem ser uma mais valia tanto para alunos como para professores que escolham a Nova SBE para estudar ou lecionar. Lisboa e Cascais, as cidades próximas, e Portugal como um todo, têm sido alvo da comunicação social internacional como destinos privilegiados, quer de lazer quer de negócios e de carreira. Na passada quinzena, Portugal foi pelo segundo ano consecutivo distinguido como o "Melhor Destino Turístico Europeu" e Lisboa como "Melhor Cidade Destino da Europa", pelos World Travel Awards

Uma das galerias da Nova SBE.

 

O novo Campus de Carcavelos pretende ser um hub de atração de talento na formação de estudantes universitários e executivos nas áreas da economia, gestão e finanças, a nível nacional e, especialmente, internacional.

 

Para além de localizado numa excecional mancha territorial, o edifício da Nova SBE é um exemplo da boa construção contemporânea em zonas de costa, que exige naturalmente um mínimo de respeito pelo rodeante, nem sempre contemplado – como exemplo bem próximo do seu contrário foi recentemente construído nos terrenos da NATO, do lado de lá da estrada, uma gigantesca caixa de cimento feita sem qualquer tipo de contemplações paisagísticas.

 

Frente à praia de Carcavelos, o edifício tem uma área superior a 66.000m2, de construção baixa intercalada com amplos espaços verdes exteriores, abertos à comunidade.

Auditório que receberá não só eventos académicos, mas qualquer outro tipo de espetáculo.

 

O projeto é da autoria dos arquitetos António Barreiros Ferreira e Vítor Carvalho Araújo, e foi selecionado numa competição internacional organizada em 2014. As instalações estão preparadas para receber mais de 3.000 alunos já em 2018, em todos os graus de formação: licenciatura, mestrado, doutoramento e formação de executivos. O campus está dimensionado para permitir mais que duplicar este número, embora os planos da administração apontem apenas para acolher 5.000 utentes, nos próximos anos, de modo a potenciar o usufruto dos utilizadores.

Exemplo de futura sala de aula, com o Atlântico ao fundo.

 

Este conceito espacial é o melhor receptáculo para o Estilo de Vida Nova (Nova Way of Life), que traz novas abordagens de ensino, focadas numa aprendizagem colaborativa; este ambiente acolhedor e confortável – onde se privilegia a vida no exterior e os espaços abertos – é naturalmente um layout que fomenta a abertura à comunidade, promovendo a circulação e o encontro entre alunos, professores, antigos alunos, empresas e vizinhos. Este sentido de comunidade e trabalho colaborativo é estimulado com o objetivo de criar valor para a sociedade.

Exemplo de auditório.

 

A Nova SBE, como qualquer escola, tem no corpo de alunos o seu principal interesse, mas deixa-o ao mesmo tempo livre e autónomo: existem 26 clubes de alunos, profissionais e sociais, e mais de 100 alunos são voluntários em 60 Organizações  Sem Fins Lucrativos. 

 

A União de Estudantes é a entidade representativa de todos os alunos da Nova SBE e é responsável pela melhoria da vida académica e das atividades da escola. Por ano acontecem cerca de 150 eventos organizados por estudantes.

 

Em termos de empregabilidade, 50% dos finalistas de mestrado têm o seu primeiro emprego no estrangeiro, com Espanha, Bélgica, Holanda, Itália, Suiça, Alemanha e Reino Unido como principais recrutadores. As empresas que mais contratam formados pela Nova SBE são a Unilever, a Amazon, a L’Oréal, a Hilton Wordwide, a Vodafone, a Credit Suisse, a European Commission e a Microsoft.

Diagrama dos espaços disponibilizados pela Nova SBE.

 

Este sucesso deve-se muito à escolha criteriosa do corpo docente, 160 professores originários de mais de 20 nacionalidades; os números de 2017 são uma medalha, traduzida em 130 publicações, 99 artigos de Peer review e 24 artigos publicados em top journals.

 

Porque o Lisbonne-Idée é antes de mais virado para turistas e expats residentes em Portugal (tantas vezes na mesma pessoa, que visita o país e depois decide fazer dele a sua nova casa), é incontornável falarmos da relação de Tim Vieira com a Nova SBE.

Tim Vieira, nascido na África do Sul, chama casa a Portugal desde 2014, com a sua esposa e três crianças. Vieira dedica o seu tempo ao portfólio de negócios que criou. Tim tornou-se conhecido do público português quando participou como investidor na primeira temporada do Shark Tank Portugal. 

Tim Vieira

 

Como tantos outros estrangeiros que vieram viver para Portugal, Tim sente que foi acolhido por uma comunidade que o fez sentir-se em casa. Grato por tudo o que o país lhe deu, acha que está na hora de retribuir: "A Nova SBE cresceu além do seu antigo campus em Campolide e, em setembro de 2018, o incrível novo campus de Carcavelos estará pronto e abrirá portas a mais de 3000 estudantes de Portugal e do resto do mundo". 

 

Termina, afirmando: "A construção do campus é, em si mesma, uma conquista importante. Financiado totalmente por doações privadas, a Nova SBE já conseguiu donativos de 35 milhões de euros até agora, mas precisa ainda de angariar mais 15 milhões de euros para atingir o seu objetivo de 50 milhões de euros". 

 

Tim espera que outros estrangeiros residentes em Portugal sigam o seu exemplo e se comprometam com esta iniciativa. Para isso, criou um desafio: para cada euro doado por um estrangeiro residente em Portugal, Tim vai igualar esse euro até um máximo de €250,000.00. 

 

Para participar nesta iniciativa siga por favor este link.

 

Mais info aqui.

 

Fotografias cedidas pela instituição. Fotos da obra por Francisco Nogueira.