CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Os “Futuros de Lisboa” para ver no Torreão Poente

Futuros de Lisboa
By João GALVÃO . 11 Month

Do amanhã ninguém sabe, mas é lícito tentar saber, não é? A exposição “Futuros de Lisboa” traz uma panóplia de futurologias para a cidade que a acolhe.

 

Num tempo de profundas alterações como o que hoje vivemos, o Museu de Lisboa promove uma exposição que levanta questões e propõe possibilidades na conjugação de três elementos: Lisboa, Cidade e Futuro. 

A mostra “Futuros de Lisboa” ocupa, de 13 de julho a 18 de novembro de 2018, dois pisos do Torreão Poente da Praça do Comércio, núcleo do Museu de Lisboa.O Torreão Poente faz parte do belo edificado que rodeia o Terreiro do Paço, o hall de entrada da cidade, construído após o teramoto de 1755. Gizado para acomodar os Ministérios da Coroa e restante parafernália oficial, após a catástrofe. Ainda hoje alberga alguns Ministérios e, ainda, restaurantes, lojas e um polo dos Museus de Lisboa, este Torreão Poente, que exibe ao longo do ano algumas das melhores exposições temporárias que pode ver em Lisboa, sempre, é claro, com Lisboa como tema preferencial.

O Torreão Poente, no Terreiro do Paço, onde pode ver até novembro a exposição "Futuros de Lisboa". Na foto de abertura, a futurologia da artista Luisa Ferreira, com trabalho de imagem por Inês Lino e José Piteira.

 

Às perspetivas dos comissários, João Seixas, Manuel Graça Dias e Sofia Guedes Vaz, juntam-se às reflexões de diversos ensaístas convidados, e a de todos os cidadãos que contribuíram com as suas ideias.

O Rossio pós subida do nível dos oceanos, por O2 Sem Gotas

 

Em 10 salas de exposição, equacionam-se elementos que suportam os conceitos de Lisboa, Cidade e Futuro, valores que lhes subjazem, atitudes de mudança e perspetivas para a sua construção, tomando como base as interpelações que tais tendências, valores e atitudes foram originando e continuarão a originar para a transformação das cidades e da vida urbana; e, neste caso, para a transformação de Lisboa.

À esquerda o Mercado Praça da Figueira, 1865-1949, Imagem do Arquivo Municipal de Lisboa, e à direita, o atual Centro Comercial Vasco da Gama

 

A exposição não propõe cenários concretos de futuro, abrindo antes uma ampla base de interpelação e interrogação a cada visitante, em várias dimensões: Como se pensa e como se tem pensado o Futuro? Como se pensa e se tem pensado a Cidade? O que se poderá afigurar como mais fundamental na construção de futuros para a cidade de Lisboa? Através de imagens, vídeos, fotografas, documentos, objetos tecnológicos e obras de arte, a exposição leva-nos numa viagem desde o Futuro ao Longo do Tempo, passando pelo Futuro do Passado, pelas Dificuldades em Prever o Futuro, ao Futuro que Já Cá Está, e até ao Futuro Inevitável, terminando na sala dos Pilares de Lisboa.

"Alice na cidade das sete maravilhas", ilustração de Luís Louro

 

Serão ainda apresentados alguns dos trabalhos que chegaram à organização como resultado de um convite à participação dos cidadãos lançado pelo Museu de Lisboa, através do site da exposição e em escolas da cidade.

O robot iCub Chico, criação do Instituto de Sistemas e Robótica do Instituto Superior Técnico

 

Em abordagens multidisciplinares, ora otimistas ora pessimistas, as temáticas da ecologia e da sustentabilidade, da inovação e da criatividade, da coesão e da justiça estarão sempre presentes. O público poderá encontrar documentação fotográfica e multimédia das coleções do Museu de Lisboa, mas também de coleções privadas, objetos do quotidiano da vida urbana em Lisboa e materiais relativos a importantes experiências científicas levadas a cabo por universidades de Lisboa, em áreas tão diversas como os sistemas de informação, robótica, energia, ecologia, comunidade e cidadania.

 

Torreão Poente, polo do Museus de Lisboa 

No Terreiro do Paço

Até 18 de novembro

De terça a domingo, entre as 10h00 e as 18h00

€3 (descontos disponíveis e restante info aqui)

 

Imagens cedidas pela instituição