CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Saiba que exposições pode ver em Lisboa no mês de Dezembro

Exposições Lisboa
Par Joana CIDADES Il y a 4 ans
Catégories :
Atividades Lisboa

Arquitetura, literatura, pintura e reflexão dão o mote às exposições que lhe sugerimos

 

Caso os dias peçam por menos planos no exterior, uma boa alternativa é deixar-se imergir no ambiente cultural de Lisboa. Nos vários museus da cidade encontra, além das exposições permanentes, uma série de exposições temporárias que deve ter debaixo de olho.

 

Fique com as nossas sugestões:

 

Trienal de Arquitetura de Lisboa (até 11 de Dezembro)

 

A Trienal de Arquitetura de Lisboa tem um vasto programa que inclui debates, conferências e visitas guiadas. Mas, além disso, tem várias exposições cujo objetivo é promover a reflexão sobre a arquitetura e a forma como esta influencia o mundo à sua volta. A 4.ª edição da trienal começou em Outubro e termina a 11 de Dezembro, com o encerramento de duas das quatro exposições principais deste evento.

 

“Obra”, na Fundação Calouste Gulbenkian, e “Sines: Logística à Beira Mar”, no Palácio Sinel de Cordes, são as duas exposições que pode visitar até dia 11. “A forma da Forma”, no MAAT, encerra dia 12, e “O Mundo nos Nossos Olhos”, no Centro Cultural de Belém, só termina no dia 15 de Janeiro.

 

 

“Evocando Mário Cesariny”, Casa da Liberdade – Mário Cesariny (até 17 de Dezembro)

Esta exposição celebra a vida e obra de Mário Cesariny, artista português que se destacou nos poemas e na pintura, sendo um dos principais representantes do movimento surrealista em Portugal. O artista lisboeta, que morreu faz uma década, vai ser homenageado nesta exposição, que também comemora o terceiro aniversário da Casa da Liberdade – Mário Cesariny, que tem o seu nome em tributo. Em exposição encontra desenhos, esculturas, fotografias, pinturas, poemas com desenhos e outras instalações que o artista concebeu dos anos 40 até 2000.

 

 

“China Hoje: a desafiar os limites”, Museu do Oriente (até 18 de Dezembro)

Esta exposição mostra a perspetiva de três artistas chineses sobre o seu país, através de colagens fotográficas, pinturas e desenhos a carvão, num total de 17 obras. A mostra pretende retractar as desigualdades e incongruências sociais, a repressão política, a sobrepopulação e os problemas ambientais na China.

 

 

“Phonógrafo”, Museu do Fado (até 30 de Dezembro)

Exposição de desenhos de Manuel João Vieira inspirada no fado, mais especificamente nas personagens da música de Joaquim Cordeiro, Frutuoso França e Joaquim Pimentel, misturas com referências da literatura, mitologia e vernáculo português.

 

 

“A Conversa Inacabada: Codificação/Descodificação”, Museu Coleção Berardo (até dia 31 de Dezembro)

Esta exposição parte de um ensaio de Stuart Hall sobre a codificação e descodificação do discurso televisivo, o modo como o discurso é construído e absorvido e de como a mensagem original pode ser distorcida. Inclui instalações em vídeo e registos de áudio de acontecimentos políticos recentes para questionar a perceção dos visitantes sobre eles.

 

 

"Vergílio Ferreira: Espaço do (In)visível”, Torre do Tombo (a partir de 6 de Dezembro)

 

Esta exposição vai-se dividir em quatro temas: Do Lugar e dos Documentos da Escrita; Da Censura; Das Marginalia e do Espírito do Lugar: A Aldeia Eterna. Vai ter objetos do escritor, incluindo a cadeira onde este escrevia, assim como textos inéditos, e alguns livros proibidos ou autorizados com cortes por parte da Censura do Estado Novo. A exposição pode ser visitada até dia 31 de Janeiro.

 

 

Fonte: New in Town