CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Cia Portugueza do Chá, palavra de especialista

Cia Portugueza do Chá
Par João GALVÃO Il y a 3 ans
Catégories :
Últimas Notícias

Parece saída do Harry Potter: a Cia Portugueza do Chá é o protótipo de que deveriam ser todas as lojas de chá. Até pode contar com um Tea Sommelier

 

Neste espaço é tudo irrepreensível, a começar no logótipo, um perfil em sombra chinesa, como um camafeu do século XIX, de uma jovem princesa. “Na nossa Companhia escolhemos uma figura emblemática para nos representar: um perfil recriado da primeira "Tea Drinking Queen” como os ingleses apelidaram a jovem princesa portuguesa Catarina de Bragança e que a história tem hoje como responsável pela divulgação do hábito de beber chá todos os dias, algo que era “muito precioso” para a jovem princesa!” Foi assim que abrimos a conversa com Sebastian Filgueiras, o Tea Sommalier responsável pela Companhia Portugueza do Chá em Lisboa.

Aqui é necessário abrir um parêntesis e esclarecer este termo. Um Tea Sommalier é uma espécie de escanção de chás que faz com estes o que um escanção tradicional faz com vinhos. Estuda-os, conhece-os, analisa-os e acima de tudo apaixona-se por eles. Aqui há tanto de conhecimento técnico como de amor pelo campo de trabalho, e ter numa loja de chá alguém como Sebastian é mais do que um detalhe, é uma necessidade inteligente. Fecha parêntesis.

A Companhia Portugueza do Chá abriu em 2014 para importar e vender as mais finas folhas com origem no mais exótico distante: dos grandes jardins da China, do Japão, da Birmânia e da Índia, do Ceilão - o atual Sri Lanka – da Formosa, do antigo reino do Sikkim, da Tailândia, do Ruanda, do Malawi, da Coreia do Sul, e claro, das mais próximas e menos exóticas Ilhas dos Açores. 

Diz-nos Sebastian que “as mais diversas origens, cada jardim, cada país produtor, possui um terroir único, assim a diversidade do chá é garantida desde a origem, e cada um dos nossos clientes pode orientar-se e encontrar-se dentro deste universo tão vasto quanto fascinante!”

 

E continua: “Além da nossa seleção, criamos os nossos próprios blends, garantimos assim a excelência na qualidade de cada um dos nossos chás. Para nós é fundamental poder seguir a grande viagem do chá, desde o jardim onde cresceu, até os nossos balcões em Lisboa! 

Desta forma criamos blends à medida, reeditamos grandes clássicos, reinterpretamos novas descobertas, adaptando ao gosto de hoje o antigo e milenar gesto do chá: um pouco de água quente, umas folhas de chá e tempo …eis a magia do Chá!”

A casa que a Companhia escolheu para si é uma loja centenária, em pleno tecido histórico da cidade, na Rua Poço dos Negros, a São Bento. Abriu em 1880 como Antiga Sapataria Bastos, e dela ficaram as paredes forradas a boiserie  e os grandes balcões que agora parecem ter sido feitos de propósito para acomodar os chás entesourados em latas.  

 

Para além destes, a Companhia Portugueza do Chá vende toda a parafernália que rodeia o culto: chávenas, bules e acessórios, e oferece o tempo e o cuidado de Sebastian quando chega a altura de levar o chá certo para casa: “os amadores do chá ao pequeno almoço levam o nosso blend “Lisbon Breakfast”, uma mistura de chá preto português, das Ilha dos Açores, e de chá preto do Ceilão” conta-nos Sebastian. “Outros preferem um grande chá numa reedição muito especial, o Earl Grey Portugal, um clássico, mas aqui preparado com bergamotas cultivadas em Portugal, (em vez da bergamota italiana). O clima dos nossos jardins ao sul de Portugal é perfeito para estes citrinos que em Portugal se apresentam muito aromáticos e concentrados em óleos essenciais”.

E que chás qualquer um de nós tem que ter na despensa? Também aqui Sebastian tem o conselho certo: “eu recomendaria estas três categorias: um chá bem encorpado para começar o dia: beber chá de manhã em casa é um hábito a recuperar sem falta! O chá é um tónico importantíssimo para o nosso organismo pois atua de forma lenta e suave, estimulando corpo e mente. Um chá para a tarde (a escolher entre um chá preto do Yunnan, um clássico Earl Grey, ou um elegante chá da China) e ainda umas folhas excepcionais, para ocasiões especiais que todos nós devemos cultivar e celebrar, uma colheita rara, ou as pequenas produções, chás exóticos e fascinantes como o chá amarelo que tem uma infusão da cor do ouro! “

A Companhia propõe também em exclusivo, um precioso Chá Branco Português, projeto piloto a ser desenvolvido em São Miguel, Açores, e do qual a Companhia faz parte através de um protocolo ali celebrado, “um chá realmente novo e absolutamente incrível, com uma legião enorme de fans em tão pouco tempo!“

 

Companhia Portugueza do Chá

Rua do Poço dos Negros 105

1200-337 Lisboa

213 951 614

https://www.facebook.com/Companhia-Portugueza-do-Chá-Vieira-Pinto-378317809002148/