CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Há menos portugueses a tirar férias no Natal

Férias de Natal
Par Inês ALMEIDA Il y a 3 ans
Catégories :
Últimas Notícias

Os portugueses que vão tirar férias no Natal este ano vão gastar mais

 

Este ano há menos portugueses a planear fazer férias no período das festas, que vai do Natal à passagem de ano, em comparação com o período homólogo do ano anterior. Esta conclusão foi retirada do estudo realizado pelo Instituto do Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT) em parceria com a Soltrópico. Por outro lado, entre aqueles que vão tirar férias nesta altura, há mais portugueses a viajar para o estrangeiro e a planear gastar mais.

 

Do total de inquiridos pelo IPDT, 37% pretendem fazer férias neste período, uma percentagem inferior aos 43% de 2016 e similar aos valores obtidos em 2015. No entanto, em 2016 Portugal foi o destino de 78% dos inquiridos que gozaram férias e, este ano, apenas 57% destes pretende ficar no país.

 

A região de Portugal que acolhe a preferência da maioria dos portugueses para passar férias é a do Porto e Norte, que é escolhida por 40% dos turistas internos (31% no ano passado). O turismo no Centro também vai crescer ligeiramente, atraindo 24,4% dos turistas, ao passo que no ano passado foram 22%. Em terceiro lugar, Lisboa e Vale do Tejo (14% em 2016, 8% em 2017) é substituída pelo Alentejo, que irá acolher 14% dos turistas nacionais (9% em 2016).

 

“A expectativa para o gozo de férias neste período é muito positiva, sobretudo pelo aumento do consumo dos turistas. O Porto e Norte e o Centro são, de novo, os destinos de eleição, confirmando o excecional momento, colecionando prémios, distinções e recordes, ano após ano”, afirma António Jorge Costa, presidente do IPDT.

 

Relativamente aos destinos estrangeiros, Espanha está empatada com “outro na Europa” e 9,3% dos inquiridos ainda não escolheram o seu destino. Este ano, cada turista tenciona gastar 270€ na viagem (209€ em 2016), estimando uma despesa por turista e por noite de 70€ (mais 12€ que em 2016). Este estudo revela ainda um aumento da duração da estada média para o período em causa: 29,8% irá ficar fora três noites, 23,8% passará duas noites fora de casa e 26% vai ficar cinco ou mais noites no destino.

 

 

Fonte: Dinheiro Vivo