CONTACTO INVESTIR COMPORTA ALGARVE PORTUGAL

Receitas do turismo ultrapassam 11,5 mil milhões de euros

Receitas do Turismo
By Inês ALMEIDA . 3 years
Categories :
Turismo Portugal

O turismo em Portugal representa 71% da balança de serviços

 

O turismo rendeu a Portugal 11,5 mil milhões de euros no período entre janeiro e setembro deste ano, o que corresponde a um crescimento de 19% relativamente ao período homólogo do ano anterior, de acordo com os dados do Banco de Portugal. Isto significa que, ao longo destes nove meses, os turistas estrangeiros despenderam mais de 42,3 milhões de euros, por dia, em Portugal. A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, afirma que este “é o maior crescimento do século”.

 

De janeiro a setembro de 2017, Portugal já superou o total de receitas turísticas conseguidas ao longo de todo o ano de 2015, destaca a secretária de Estado do Turismo, no 43.º Congresso Nacional da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que este ano teve lugar em Macau. “Este foi um crescimento recorde, o maior crescimento do século”, considera Ana Mendes Godinho.

 

A par do aumento das receitas internas de turismo, também os gastos que os portugueses fazem no estrangeiro têm vindo a aumentar. Ao longo do mesmo período, entre janeiro e setembro deste ano, os turistas portugueses gastaram um total de 3,2 mil milhões de euros lá fora, o que corresponde a mais 13% do que no período homólogo de 2016. Contabilizando a quantia gasta e recebida em turismo, o saldo ronda os 8,3 mil milhões de euros, verificando-se uma subida homóloga de 21%. Os lucros do turismo correspondem a 71% da balança de serviços.

 

Além da cada vez maior importância para a economia portuguesa, o turismo foi responsável pela criação de 53 mil postos de trabalho no terceiro trimestre de 2017. “Se compararmos setembro com o mês homólogo de 2015, temos mais 70 mil pessoas a trabalhar no turismo em Portugal”, explica Ana Mendes Godinho. A secretária de Estado destaca também que “a atividade turística está também a alargar-se a todo o ano, com as maiores taxas de crescimento a verificarem-se nos meses de época baixa”.

 

 

Fonte: EcO